22.9.08

Edir Macedo prega que evangélicos tomem o poder

Neste domingo (21/09) o jornal O Globo publicou uma matéria que fala do lançamento do novo livro do Edir Macedo, Plano de Poder, onde ele afirma que deus teria um suposto plano de governo onde a IURD e quaisquer denominações protestantes à ela filiadas, seriam exortadas à apoiar Igreja Universal nessa empreitada rumo ao Planalto.


A jornalista Tatiana Farah entrevistou Roberto Romano, cientista político e professor de ética da Unicamp que afirmou que o momento é propício para o lançamento do livro, mas a liderança de Macedo está longe de ser unânime entre os ceca de 40 milhões de evangélicos no país.

Silvana Suaiden, professora titular de Teologia da PUC - Campinas, disse que Macedo faz uma leitura fundamentalista do Velho Testamento. Ele dá uma relevância descabida ao papel dos evangélicos nessa tomada de poder, deixando de lado de fora os adeptos do catolicismo. Isso em uma época que só haviam hebreus primitivos e judeus, sem nem sombra messiânica da imagem de Jesus.

Ler essa reportagem (também disponível no site do Instituto Humanitas Unisinos) me deu uma sensação desagradável de impotência perante os acontecimentos. Embora realmente uma unipartidarização evangélica ainda é uma utopia dentro das fileiras protestantes, ainda assim têm voz ativa para eleger senadores, governadores e tentar ascender à prefeitura. Realmente a época dos pastores/vereadores com suas ovelhinhas locais acabou e, em face aos prognósticos futuros, deixa saudade.

Talvez isso nem venha a se concretizar, mas é um absurdo um tipo de manobra como essa. E mais absurdo ainda é constatar que cerca de 20 ou 30% da parcela da população brasileira não tem escrúpulos de afirmar que votaria em um candidato apenas pela sua afiliação religiosa evangélica. Basta ver o que está acontecendo em São Paulo com a candidata à prefeitura Marta Suplicy e como ela tem sido alvo da estupidez evangélica daquela cidade.

Aproveitando: sei que é fora do meu domicílio eleitoral, mas como ateu não votaria na Marta apenas porque ela está sendo hostilizada pelos protestantes, como forma de mostrar meu repúdio. Tampouco votaria em um candidato ateu apenas por ele ser ateu, o que seria um erro tão crasso e da mesma família, apenas com sinal invertido, da insólita frase "irmão vota em irmão", que o velho Macedo está tentando levar à um assustador patamar ainda não visto no Brasil.

7 comentários:

30 e poucos anos. disse...

O pior é o Bispo Macedo dizer que Deus tem um suposto plano de governo para o Brasil ... que coisa né???
Infelizmente existe uma camada da população que acredita na salvação pregada pela Universal e se propõe a verdadeiros absurdos para ter a consciencia tranquila inclusive dando apoio e fazendo campanha para candidatos...todos os candidatos a profeitura de são paulo ja foram nos principais redutos evangélicos pedir votos, TODOS....se são bem recebidos ou não é outro papo.

HoneyBee disse...

É claro que Deus tem um plano para o Brasil. Inclui uma bela punição pela soberba de nos considerarmos a maior seleção de futebol do mundo. Aposto 1 prata que a Argentina vai ganhar a Copa do Brasil.

Aliás, se o Edir Macedo prometer que se for eleito, vai falar com Deus pra liberar um 3x0 contra os hermanos, é capaz até do Plano de Poder vingar.

Agora, falando sério: Eu tenho um problema enorme com evangélicos, eles COSTUMAM (Não são todos, meu ex alguma coisa, que nunca chegou a ser namorado, era o evangélico mais porra louca que já conheci...) querer nos empurrar a bíblia, devidamente interpretada por eles, goela abaixo a todo custo. E se você não aceitar, irá inevitavelmente para o inferno. Dá até cansaço falar disso...

Petite Femme disse...

li a reportagem no domingo. o meu maior medo é pq isso não é um simples devaneio do Macedão, mas um golpe político que parece estar cada vez mais próximo de se tornar real. os evangélicos (e cristãos no geral) são meio desunidos para certas coisas, mas levando em consideração que formam uma massa disposta a seguir um líder, o bispão quis dar um choque de realidade, um "acorda", já que TODAS as igrejas infiltram candidatos para defender seus dogmas (e não para defender os interesses do povo). Se eles se unissem, o que hoje é pouco provável mas amanhã é totalmente possível, estariamos com nosso Estado "laico" cada vez menos laico.

bjs

Rafael disse...

No dia que a Cientologia chegar aqui, nós estaremos perdidos.

jair teixeira disse...

Éra só o que faltava, termos uma luta em religíões em nosso País,,
Evangélicos contra todos,, até parece nome de filme,,vamos aproveitar e importar uns muçulmanos e xiitas aí vai ficar muito bom,,

amadeusxiii disse...

Não se preocupe.

Os evangélicos, ao contrário da ICAR, não possuem uma liderança centralizadora.

Na verdade não conseguem chegar em um consenso sobre doutrinas básicas como a forma correta de batizado.

E Iave costuma falhar quando suas ovelhas mais precisam.

Anônimo disse...

"Se me ungis como rei, eu vos abençoarei, mas se não me ungis, sai fogo do espinheiro e vos consuma até todos os cedros do Líbano"

Este é o versículo que o Fedir Macedo usa para justificar seu plano maquiavèlico. Como disse Jesus: pela árvore se conhecem os frutos!
Que josta de promessa: "ou voces me aceitam como chefe, ou eu mato todo mundo carbonizado. Com um deus assim, quem precisa de diabo?