8.4.08

#1 - DEFINIÇÃO

ATEU adj. e s.m. (Do grego atheus, sem Deus.) Que ou o que nega a existência de qualquer divindade; ímpio. (LAROUSSE, pág.499)

- - -

Fica claro para qualquer um que interprete razoavelmente textos de ensino médio que ateu é, portanto, um adjetivo e substantivo masculinos formado pelo prefixo grego a, significando "ausência" e o radical teu, derivado do grego theós, significando "deus"; sinônimo também de impiedoso, desumano e cruel!

Não costumo ler dicionários ou enciclopédias nas horas vagas, mas faço uso deles com freqüência e não me lembro de nenhum verbete em nenhuma publicação do tipo fazer um juízo de valor acerca de seu significado. Mas não vou me ater a isso agora. Haverá espaço nas próximas partes dessa série de postagens (ORIGENS, EVOLUÇÃO e MORAL) quando vou discorrer o quanto essa afirmação é preconceituosa e incorreta. Por hora vou me concentrar na definição básica do termo e algumas implicações anedóticas práticas.

Sim, ateu é aquele que não acredita em instâncias sobrenaturais superiores. Agora, por que não acreditamos nisso? Bem, isso sim é bastante complexo de responder. Para falar a verdade, há tantos tipos de ateus quanto há ateus, pois nenhum de nós segue alguma doutrina específica ou filosofia de vida comum. Geralmente a ruptura com a religião ocorre em momentos diversos e sob condições diversas, tornando impossível uma categorização.

Quanto ao tema a maioria tende a ser cética, requerindo provas para que se possa afirmar que um deus exista. Chame isso de coerência contra a credulidade, algo que nos acostumamos a ter sempre à mão e que nos protege no dia-a-dia mas que por motivos de tradição e autoridade autoimposta pelos credos e crenças, não é aplicada aos mesmos. Tentam assim tornar-se imunes à críticas. Mas após milênios de história humana e centenas de civizações ao longo da linha temporal nada que tenha sobrevivido ao crivo impiedoso da ciência sobrou, de modo que a questão ainda é a mesma: ainda é muito mais fácil e reconfortante ficar à sombra de um mito do que cavar sob o sol em busca da verdade.

Há aqueles que por não terem suficiente desenvolvimento intelectual não podem posicionar-se quanto ao conceito de divindades. Soou arrogante? Talvez, pelo menos até você admitir que ninguém nasceu acreditando em alguma coisa, certo? Crianças não têm maturidade para decidir-se sobre tais assuntos, mas são adestráveis o suficiente para aprender sem questionar qualquer tipo de conteúdo. De fato são atéias até que ensinadas a observar certas tradições de sua comunidade, normalmente o dogma de seus pais. Culturas isoladas que não desenvolveram a abstração ao nível da adoração metafísica também são exemplo de que é possível viver todo um ciclo vital sem crer em deus. Há uma historinha interessante da escritora norte-americana Annie Dillard que ilustra bem essa situação

Esquimó:
"Se eu não soubesse nada sobre Deus e pecado, eu iria para o inferno?

Missionário:
"Não, não se você não soubesse"

Esquimó:
"Então por que você me disse?"


Há até aqueles "ímpios" que rejeitam a idéia de todos os outros deuses já criados pelo homem... menos o próprio! Pense comigo: se você é um cristão (com ou sem Papa) acredita na existência de Jesus Cristo de Nazaré, messias de Jeová e mártir dos judeus, o deus vivo dos antigos hebreus e essênios(?). Automaticamente acha que todas as outras manifestações religiosas no mundo não passam de um monte de mentiras, correto? Se esse é seu caso então há muitíssimas diferenças dogmáticas entre você e os seguidores de Tezcatilpoca, Allah, Odin, Zeus, Júpiter, Amon-Rá, Dagda, Marte, Cronos, Vesta, Aa, En-Mersi, Assur, Atena, Mami, Nin-azu, Qarradu e etcéteras mas há uma grande semelhança: de um vasto universo de divindades criadas pelo homem à sua imagem e semelhança cujo número certamente anda na casa das milhares, você acredita em pelo menos um. Como de minha parte não vejo motivo para acreditar em nenhum, estatisticamente falando a diferença tende a zero.

- - -

11 comentários:

Blog Esponja disse...

Já tinha visto outro blog falando sobre ateus, mas fazia igual as igrejas fazem. Tentava doutrinar ao contrario. Enfiar a própria opinião a força.

No seu caso foi diferente. Você simplesmente defendeu seu direito de escolha sem querer colocar na cabeça de ninguém que vc ta certo e que o outro está errado.

Parabéns pelo texto. Defendeu seu ponto de vista com propriedade sem invadir a escolha do próximo.

Muito bom o blog.
Sucesso e fica com Deus. ;-D

Blog Esponja ®
www.blogesponja.net

Rodrigo disse...

Gostei do texto, mas discordo que há "tantos tipos de ateus quanto há ateus", quando eu era ateu (há imensos um mês atrás, antes de começar a idolatrar Atena) o era simplesmente por crença, mas existe um tipo específico de ateu que me irrita, que é o que perde papel e ganha dinheiro "provando" que deus não existe.
Oras, eu não acredito no deus cristão (ou em qualquer deus monoteísta) e só idolatro minha Senhora porque ela pediu que eu fingisse sua existência e se a divindade pede, nós mortais não questionamos, né?
-
Enfim, meus argumentos todos giram em torno do velho "não dá pra provar nem um nem outro", mas não se engane, existe um tipo de ateu por aí convencidissimo que sua ciência provou com todas as letras a não-existência e desde que ateus começaram a se organizar dizendo coisas do tipo "a causa do terrorismo é a religião", eu comecei a procurar meios de sair do meio dessa gente.

Cyntia Bravo disse...

Livre árbitrio é presente de Deus pra gente! Pode usá-lo. Faça suas escolhas, certo??? Deus permite...
xD

Juliana Dacoregio disse...

O diálogo entre o esquimó e o missionário é ótimo!

Andre disse...

Sobre o último parágrafo do excelente artigo, Joseph Campbell disse que mito é como chamam a religião dos outros.

Até agora não vi nenhum religioso ter um argumento plausível sobre o fato do seu (dele) deus ser mais verdadeiro que a Fada do Dente.

Anônimo disse...

Acho estranho os ateus terem a necessidade de ficarem se explicando...

Rodrigo Souza disse...

Também acho.

Demente disse...

Ateus têm que se explicar porque a maioria esmagadora da população é religiosa e, portanto, ensinada pela maioria de seus líderes religiosos a tratá-los com desdém (quem adivinhar o porque ganha um doce).

É só ver a segunda definição de Ateu no dicionário, citado logo no início da postagem.

" Acreditar" disse...

Fiquei curiosa para conhecer mais de vc entre no meu e-mail
anndsfelipe@bol.com.br

* disse...

porque é tolo

Rodrigo Souza disse...

Típico...