12.9.08

#4 - MORAL

Moral, basicamente, é o conjunto de regras de conduta, consensos de comportamento e atitude tomadas como sendo adequadas para uma determinada sociedade e em determinado local. Tal definição é relativa pois o tipo de atitude esperada de uma pessoa em geral está em conformidade com a cultura na qual ela está imersa. Não há, pois, um parâmetro pelo qual podemos julgar que determinada ação está correta ou não, apenas que determinada ação está ou não dentro do que consideramos justo, aplicável ou mesmo bom. É, portanto, um valor subjetivo. É possível, entretanto, impor um conjunto de regras a uma sociedade, desde que essa imposição advenha de um poder político forte, de uma sub-cultura influente ou de um ou mais indivíduos carismáticos. Percebam que o fato de que algo é disseminado, influente ou comum não é obrigatoriamente reflexo da verdade.

Levamos milhares de anos de história ocidental para chegarmos ao patamar que estamos hoje. Pode não ser o melhor exemplo do mundo, mas sem dúvida é o melhor que pudemos fazer e o mais inclusivo de todos os códigos de conduta já criados do nosso lado do planeta. Em tempo: excluí o resto do mundo desse grupo pois é sabido que em alguns tópicos eles são muito diferentes de nosso agir e compreender o mundo. Culturalmente são bem divergentes, mesmo que com muitas semelhantes inerentes à nossa espécie. Por esse motivo, e também por familiaridade, optei por estancar apenas no nosso paradigma e na religião com que tenho mais familiaridade, o cristianismo. Após esse longo período de evolução cultural, onde abandonamos práticas hoje tomadas como cruéis e indignas, ainda assim algumas pessoas insistem em uma leitura literal de cânones primitivos e leis ultrapassadas. Nossa sociedade está prenhe de exemplos de códigos de conduta específicos que estão fora de sintonia com o que convencionamos chamar de bom-senso, respeito à vida e liberdade de escolha. As Testemunhas de Jeová tem tradicionalmente um ponto de vista interpretativo das escrituras bíblicas cujo principal reflexo é a intolerância religiosa à doação de sangue e órgãos. Imagino quantas vidas já não foram perdidas em casos onde um simples gesto poderia ter salvo centenas delas anualmente. Há aqueles que acreditam em uma concepção literalista de todo o conteúdo, com uma Terra criada por um ser superior dotado de características divinas e que foi responsável por tudo que existe no universo. Essa mesma discussão foi debatida em júri em Dover, Pensilvânia, EUA, onde protestantes queriam espaço para que suas crenças travestidas de ciência fossem ensinadas em sala de aula junto com a teoria da evolução darwinista. A decisão, aliás, foi a favor dos evolucionistas.

Onde realmente quero chegar é no critério que os religiosos costumam ter para tomar a Bíblia como sendo um reflexo literal da verdade. É comum dentro do dogma de todas as religiões a confiança na capacidade de seus escritos serem totalmente corretos e sábios. Baseado em evidências observáveis, testáveis e reproduzíveis me parece claro que o criacionismo, bem como as partes onde a Bíblia fornece informações de cunho científico estão quase todas erradas. O que é justo já que seu conhecimento está estagnado na idade do bronze, onde pouco se conhecia do mundo além de técnicas agrárias e do fabrico de instrumentos e ferramentas. Histórias fantasiosas e metafóricas como o dilúvio, inferno, o sol de Josué e outras não merecem mais atenção do que como alegorias folclóricas que são. Se o que eles consideram de mais sagrado não é infalível, não representa a verdade, não poderia ser também incompatível com o que conhecemos como moral? Já que a Bíblia é inconteste algo que está muito aquém de ser um guia de biologia, estaria a altura de ser um guia moral?

Eu diria que não. É comum dentro da Bíblia versículos onde são relatados destrato à mulheres (do mesmo jeito que seus primos do Islã...), prega injustiças, constrói valores arbitrários que acabam por arruinar de famílias a cidades, comete e incentiva crueldades contra pessoas e animais e é intolerante contra aquilo que é diferente. Já debati com pessoas que recorreram ao seguinte argumento quando menciono esses fatos: "Mas isso era correto para oa povos daquele tempo. Hoje é bem diferente". Relatividade moral/cultural, lembram? E de onde saiu nosso moderno modo de viver? Por que "hoje é diferente"? Está na Bíblia? Não, não está. Falando a verdade, em todos os lugares onde a religião foi o cerne de códigos morais, foi exatamente onde atrocidades maiores foram cometidas. Sempre em nome de deus.

Desenvolvemos nossa moral, nosso comportamento e nosso estilo de vida fora de qualquer escritura. Através de ramos como filosofia, que nos ajudou a entender o homem. História que nos deu os registros do que deu certo e o que deu errado com nossos antepassados. Ciências como sociologia, psicologia, biologia que nos forneceram pistas sobre quem somos na realidade. Pressões sociais expontâneas. Política. Comunicação. Isso sim formou nossas diferentes morais modernas e garante que podemos existir em um Estado de laicismo absoluto sem intervenções infantis de crédulos atemorizados pelo que não conhecem. Chamar a Bíblia de livro santo ou de guia moral é uma afronta à decência e a dignidade. Pretender que ela seja a verdade absoluta é subestimar o intelecto humano*.


*Retirado do site Bíblia da Cético.


- - -
Parte 1 - DEFINIÇÃO
Parte 2 - ORIGENS
Parte 3 - EVOLUÇÃO
Parte 4 - MORAL

8 comentários:

Jonatas Fróes disse...

Não gosto de tocar no assunto religião porque acho muito polêmico e muitos podem achar que eu sou praticamente o anticristo, mas ao meu ver é um monte de baboseira alienada que lava o cérebro de quem é carente e precisa de algo, à seco.

Os valores morais, como disse, se desenvolveram graças às diversas vertentes de estudos filosóficos e da ciência. Se fossemos depender de qualquer tipo de escritura, viveriamos em cavernas e comeriamos carne crua.

[]'s

Musikaholic

HoneyBee disse...

A visão retrógrada do cristianismo frente à complexidade da modernidade é no mínimo constrangedora. Hoje eles o cristianismo diz se arrepender da caça às bruxas na idade média, daqui a 500 anos, se dirá se arrepender da política contra o uso de contraceptivos. O pensamento está sempre muitos anos atrasado. Esse é o grande problema dessa religião, ela caminha em passos lentos.

Cleber Henrique disse...

Religião é sempre polêmica!!

Atualmente religião é como um cardápio, onde escolhe-se em que acreditar ou não!

Por séculos a igreja católica manipulou o pensamento das massas, td isso em nome do poder. Por séculos foi mais governo que religião! Isso é fato.

Tenho minha fé e acredito que tds nós seres humanos somos o que acreditamos.

Poder acreditar nas coisas, nas pessoas é o que nos faz seres humanos. Este é o maior dom dado por Deus, pela natureza ou qualquer outra coisa que se acredite.

Acredite ou não!!

Delírios da Del disse...

Olá Rodrigo
Tudo bem?
Gostaria de agradecer o seu comentário feito no meu blog, o Delírios da Del, e agradecer ao elogio também.
Sinceramente, muito obrigada.
____________________________________

Assim que eu terminar de fazer umas coisas no computador, eu passo aqui e leio o seu texto, para depois comentar, ok?

Um beijão

Del

HoneyBee disse...

Vim só concordar com o seu comentário sobre a solidariedade feminina em momentos de excessos etílicos. No meu caso eu só preciso de uma amiga, pois o meu cabelo é bem curto.

Mais uma vantagem de ter cabelos curtos.

Anônimo disse...

Quanta bobagem

Rodrigo Souza disse...

"Quanta covardia intelectual"
— Rodrigo Souza, sobre Anônimo.

Pekena garota disse...

"Ciências como sociologia, psicologia, biologia que nos forneceram pistas sobre quem somos na realidade"

E se você descobrisse que tudo isso também não passa de baboseira?! Acredita em Freud? Ouvi dizer que os ensinamentos dele também estão obsoletos nos tempos de hoje, pois existem alguns potnso que não podem ser empregados na atual modernidade dos tempo! E por que eu tenho aprendido e lido sobre ele? "Mistérios da meia noite, que correm..." " que você nunca, não sabe nunca aonde chegar"rsrs(que brega!!!) rsrs
Bjus