27.10.08

Massa crítica

A massa é crédula. A massa não se preocupa em saber, apenas em acreditar. A massa não tem vontade própria. A massa é moldável. A massa aceita tudo que é dado, sem questionamentos, sem dúvidas e sem escrutínio moral. A massa está isolada em seus rincões bairristas. A massa acha que sabe o que quer. A massa quer somente aquilo que querem por ela. A massa fica alegre com pouco. A massa só reage com muito. A massa só cresce e fermenta em cultos, showmícios e carnaval. A massa é catalizada pelo medo, conduzida pela fé e temperada pela ignorância. A massa simplesmente aceita água para se tornal mais maleável e farinha para se tornar mais dura. A massa é burra, cega e depende inteiramente do padeiro para tomar a forma que tem. A massa não tem consciência do forno que vai assá-la. A massa ignora os garfos que vão espetá-la e das facas que vão dividi-la. A massa não toma conhecimento das bocas que vai alimentar numa festa de quatro longos anos.

6 comentários:

Fatima disse...

Esta postagem me fez lembrar do filme 'Pulp Fiction'; a maior parte das pessoas é constituída de uma massa de modelar mesmo.
Abraços!

Huno disse...

Medidas como estas apenas fortalecem o cristianismo e a demagogias agregadas.
Existe um fenômeno bastatante interessante sobre a forma de pensar cristã: Que é o teste da fé.

Este teste nunca falha, e quanto mais se provar as atrocidades cristãs, mais fiéis os cristãos se tornam.

Esta medida só irá aumentar o conflito entre as partes.

Lembrando que tanto ateus como teístas, se ocidentais, se baseiam na mesma base religiosa, que é a cristã. Logo toda a discussão que pode vir a acontecer fortalecerá o enraizamento mental na mente de todos.

Se Deus existe ou não, não faz a menor diferença, mas sim a mentalidade e atitudes que tais crenças geram. isto sim é importante e nunca discutido!

O Cristianismo é perfeito para qual objetivo foi criado.

Rodrigo Souza disse...

"O Cristianismo é perfeito para qual objetivo foi criado."

E é justamente isso que me dá mais medo. Juntando isso à esfera política, como a atual mobilização evangélica para tomar o Legislativo nacional, temo que a liberdade esteja condicionada à fé. Dada a velocidade com que isso acontece, não terei a sorte de estar morto antes de presenciar isso...

amadeusxiii disse...

Não se preocupe Rodrigo, a massa é incapaz de se organizar como movimento homogêneo.

E o cristianismo não agrega, mas separa as pessoas, à medida que existem diferentes correntes dentro do movimento evangélico.

Rodrigo Souza disse...

Também penso assim, mas o que me preocupa é que em um universo em expansão como é o mundo evangélico, com denominações e reinterpretações surgindo em cada esquina, uma hora alguém surge com um discurso mais conciliador que divisor.

Que resultado pode aparecer da cruza da demagogia secular política e a fé fundamentalista cristã?

Um messias capaz de circular por todas as tribos de Javé sem se filiar a nenhuma e falando o que cada uma quer escutar. Se/Quando isso acontecer, teremos sérios problemas.

Homenzinho de Barba Mal feita disse...

Como já dizia Nelson Rodriguês: "Nunca queira ser unãnime,pois a unãnimidade é burra".

Ótimo texto!!!